Soluções de fluxo de ar

Soluções de fluxo de ar

“As soluções de fluxo de ar são o ponto de partida para alcançar a eficiência”

A pressão para conseguir uma maior eficiência em termos de energia, refrigeração e redução de emissões de CO2 , por um lado, e o aumento da procura do serviço, por outro, converteram o centro de dados em algo cada vez mais complexo de gerir. No entanto, o primeiro passo para alcançar esse objetivo continua a ser a gestão do fluxo de ar, uma vez que se gera um efeito de dominó através do qual será possível reduzir as unidades de refrigeração – e com isso aumentar a densidade –, o que, por sua vez, resultará num menor consumo energético e, finalmente, numa redução das emissões de CO2.

Há que ter em conta que, atualmente, a quantidade de refrigeração das salas é três vezes superior ao necessário, o que não é benéfico nem sequer para evitar o aparecimento de pontos térmicos. Este grande volume de ar frio na sala explica-se pelo direcionamento inadequado do fluxo de ar. Este ar perdido é conhecido como “bypass airflow”, ou seja, o ar que volta para a origem sem ter cumprido a missão de refrigerar um equipamento de TI ou o próprio ar quente que primeiro recircula em direção ao equipamento de TI sem ter passado pela unidade de refrigeração.

A MPL oferece os produtos necessários para otimizar a infraestrutura do centro de dados e conseguir dessa forma uma perfeita gestão do fluxo de ar. Após esta gestão adequada do fluxo de ar, produz-se o efeito positivo nas restantes áreas do centro de dados.

Decididamente, as soluções de fluxo de ar são o ponto de partida para alcançar a eficiência, pelo que são consideradas pré-requisitos para uma gestão adequada do centro de dados.

Um dos aspetos fundamentais na gestão do fluxo de ar consiste em evitar qualquer superfície aberta no piso elevado que não esteja estritamente dirigida para uma entrada de ar sobre o equipamento de TI. É importante que o ar por baixo do piso elevado funcione como uma câmara.

Depois de se conseguir dirigir o ar diretamente desde as unidades de refrigeração para a entrada do equipamento de TI, o passo seguinte será evitar que o ar recircule desde a parte posterior do bastidor, assim como do corredor quente, de uma maneira geral, para a parte frontal.

Finalmente, é importante que o ar não passe de um corredor para outro. Isto costuma acontecer através de pequenas aberturas entre um bastidor e outro equipamento (outro bastidor, outro equipamento de TI, colunas, etc.), além dos espaços na parte inferior de bastidores elevados.